Strawberry Alarm Clock – Incense and Peppermints (1967)

sac_1969

Eles foram os queridinhos das rádios AM numa época em que imperavam os grupos de rock bubblegum. Isso não os impediu de serem os responsáveis por um dos maiores hinos da psicodelia. A canção “Incense and Peppermints” permaneceu 16 semanas em primeiro lugar nos Estados Unidos e seu grupo, o Strawberry Alarm Clock, nunca mais repetiu a dose, chegando no máximo ao top 30 com o single seguinte: “Tomorrow”.

Mas não se iluda: o grupo era ótimo e gravou quatro LPs muito competentes (tem também uma coletânea), além de participar de dois cults do cinema underground, os filmes Beyond de Valley of the Dolls e Psych Out, este último junto com o The Seeds. Encerraram as atividades em 1972, após várias trocas de formação durante sua existência.

Seu single mais importante, o motivo de estarem aqui na seção Have a Nice Day, tem uma história muito curiosa, devidamente contada no livro The Billboard Book of Number One Hits. No começo de carreira, eles se chamavam Thee Sixpence, e tiveram uma música letrada por John Carter, um inglês que de vez em quando fazia letras por encomenda.

Essa letra deu à música o nome de “Incense and Peppermints” e não tinha pé nem cabeça, apenas um monte de palavras soltas que acabavam rimando:

Good sense, innocence, crippin’ and kind.
Dead kings, many things I can’t define.
Oh Cajun spice, sweats and blushers your mind.
Incense and peppermints, the color of thyme.

E por aí vai…

No dia em que a música estava sendo gravada, Carter foi convidado para acompanhar a sessão de ensaios e acabou enfrentando o ressentimento dos rapazes pelo fato de que outra pessoa havia composto a letra de uma música deles. Mas como ela seria o lado B do single, eles nem deram muita bola quando Carter disse que o cantor da banda estava cantando errado e pediu que outro membro da banda a cantasse.

No dia seguinte, quando a música seria gravada para valer, esse cara que ia cantar a música não apareceu. Aí Carter ficou sabendo que ele era só um amigo que foi chamado pela banda porque eles gostavam de sua voz para cantar as harmonias mais altas. Esse amigo nunca mais deu notícias mas, como era o lado B de um single, que eles nem escreveram a letra, ninguém se incomodou de deixar a voz do amigo na gravação.

Quanto ao nome Thee Sixpence, logo eles descobriram que havia mais duas bandas com nomes muito parecidos. O jeito era mudar e o novo nome foi escolhido literalmente a dedo: eles abriram a Billbord na página do Top 100 e botaram o dedo sobre a música “Strawberry Fields Forever”, dos Beatles.

Como Strawberry Alarm Clock, eles assinaram com a Uni Records (o single havia saído por outra gravadora, bem menor) e com a distribuição do novo selo, eles entraram para Top 100 em 30 de setembro de 1967, como número 88, e logo se tornaram o primeiro número 1 da gravadora Uni.

Duas curiosidades: ao vivo, quem cantava a canção era o baterista e quando a banda acabou, o guitarrista Edward King foi para o Lynyrd Skynyrd. Lá ele compôs o maior hit da banda, “Sweet Home Alabama”, e caiu fora, sendo substituído por Steve Gaines que morreu naquele famoso acidente de avião.

Texto de Marco Gaspari
Matéria originalmente publicada na revista poeira Zine número 16.
Para saber mais clique no www.poeirazine.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: