Buffalo – O Hard Australiano!

img86

Tão logo veio a triste notícia do falecimento do guitarrista Pete Wells, me ocorreu dedicar a seção Pérola Escondida para sua banda desconhecida dos anos 70, o Buffalo.

Pete começou tocando baixo, em 1966, quando montou ao lado do amigo Dave Tice a banda The Odd Colours, em Brisbane, Queensland, Austrália. Esse grupo teve vida breve e logo a dupla se mandou para o Strange Brew (não confundir com aquele projeto de Cozy Powell, em meados dos anos 70, ao lado do pessoal do Humble Pie).

No final de 1967, Wells e Tice montam a The Capitol Show Band. Com a chegada da década de 70 e com o Rock ficando cada vez mais pesado, se mudam para Sydney e reformulam seu som, assumindo o nome de Head, contando também com Paul Balby na bateria (depois substituído por Jimmy Economou), John Baxter na guitarra e um segundo vocalista, Alan Milano. Lançam um compacto e marcam presença semanalmente numa espelunca fedorenta de Sydney.

Como o som da rapazeada era demasiadamente pesado, adotam um novo nome, que corresponde mais aos anseios juvenis dos próprios – Buffalo.

O Buffalo foi uma das mais empolgantes bandas de Hard Rock dos anos 70. Foram a primeira banda não-britânica a assinar com o renomado selo Vertigo (casa do Sabbath, Uriah Heep, Status Quo e muitos outros) e assim como o Dust (ver pZ 09), foram precursores em capas mórbidas. Seu primeiro álbum, Dead Forever, de 1972, trazia na capa um sujeito literalmente ‘morto’ e na parte interior uma foto da banda tirada num cemitério abandonado de Sydney – assustador para a época!

Dead Forever desfilava material próprio e releituras para “I’m A Mover” do Free e “Pay My Dues” do Blues Image. Recebeu boas críticas e foi também pioneiro ao trazer a inscrição “Play This Album Loud!” na contra-capa, técnica bastante usada posteriormente pelas bandas pesadas. Aliás, volume é o que não faltava nas apresentações do grupo.

Chegaram a abrir para o Sabbath em Sydney, em janeiro de 1973, num concerto batizado de Clash Of the Titans, onde literalmente roubaram o show e viraram heróis locais. A ira do Sabbath era tanta que o guitarrista do Buffalo, John Baxter, chegou a ser agredido nos camarins por roadies de Tony Iommi. Bastou John pegar na guitarra de Iommi que os caras viraram uma fera!

Continuam na estrada e dividem o palco com Slade, Status Quo, Caravan e Lindisfarne num festival histórico em Melbourne.

1973 era mesmo o ano do Buffalo. Foi nesse ano que saiu Volcanic Rock, uma pérola obscura dos bons sons da década de 70. Pesadíssimo e cativante, todos os fãs de Rock pesado deveriam ter essa obra em sua estante. Não é a toa que a galera mais ligada em Stoner Rock vem chapando ao ouvir esse clássico. A faixa de abertura “Sunrise (Come My Way)” é hino roqueiro australiano e hardão estradeiro até o osso! “Freedom” tem uma levada contagiante e “The Prophet” é tudo o que as bandas grunges quiseram fazer!

Ainda na boa fase lançam mais um álbum: Only Want You For Your Body, em 1974. Dessa vez a crítica não deu bola para os rapazes e tudo parecia estar mesmo indo ralo abaixo. Ficam dois anos resolvendo problemas contratuais com empresários sacanas, o que acaba enervando John Baxter, que pula do barco antes dele afundar completamente. Com Norman Roue fazem alguns shows, mas quem grava o próximo álbum, Mother’s Choice, de 1976, é Karl Taylor. A fábrica de riffs e o peso dão lugar a um rock mais simplório e tradicional, o que culmina com a saída de Pete Wells e do recém chegado Karl Taylor. Wells formou o Rose Tattoo ao lado de Angry Anderson, um ex-integrante da banda Buster Brown, que tinha Phil Rudd (depois AC/DC) como baterista.

Com Chris Turner na guitarra e Ross Simms no baixo, abrem os shows do Rainbow pela Austrália, na sua inesquecível Rainbow Rising Tour. Logo em seguida implodem a banda. Como despedida gravam mais um álbum no ano seguinte: Average Rock ‘n’ Roller.

O Buffalo permaneceu anônimo ao grande público por todos esses anos e foi somente no final da década de 90 que seus discos foram relançados em formato digital (excluindo o dois em um da Second Battle, a maioria é pirataria de luxo! Cuidado!).

Em 2000, o Buffalo subiu novamente ao palco para uma única apresentação em Sydney. Pouco depois, Pete Wells foi diagnosticado com câncer de próstata. O músico tentou fazer uma cirurgia, porém o caso já estava bem avançado. Pete segurou as pontas até o dia 27 de março deste ano, quando veio a falecer depois de cinco semanas internado em um hospital.

Texto de Bento Araújo
Matéria originalmente publicada na revista poeira Zine número 12.
Para saber mais clique no www.poeirazine.com.br

img7

One response to this post.

  1. Buffalo é espetacular, queria achar uma camisa dos caras, mas é praticamente impossível

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: